JoanaBeirao_Blog

Depois da 3ª bofetada de luva branca que o mercado me deu, resolvi parar para entender o que me esta


Depois do Web Summit os temas do empreendedorismo ficaram no top da atualidade e por isso fui repescar este texto de opinião publicado no Sapo Tex. Deixo 10 passos que todos os empreendedores devem seguir para ir até ao sucesso.

Depois da 3ª bofetada de luva branca que o mercado me deu, resolvi parar para entender o que me estava a dizer! – Ok, vamos lá perceber isto. Isto é o que qualquer pessoa pode fazer hoje, contrariando a opção de ficar parada, estagnada e não empreender, quer a nível pessoal, quer a nível profissional. É aqui, na hora da decisão da mudança que se intensifica a vontade de entrar neste novo Ecossistema de Empreendedorismo.

Qual é a importância do Ecossistema? É toda Porquê? Porque pode servir a qualquer um. Não escolhe estrato social, idade, formação profissão, religião... Boa, então é para todos! Não, não é, o empreendedorismo está aberto a todos, mas não é para todos! Mas então? ... O empreendedorismo é para quem decide aprender antes de fazer e fazer nunca foi tão fácil como nos dias de hoje. Mais uma vez e para quem estudou História de Arte e História do Mobiliário sabe bem que normalmente assim é, o Empreendedorismo (de que agora se fala) chegou a Portugal já depois de se ter instalado noutros países, mas desta vez isso é bom! É bom porque se trata de Empreendedorismo, onde quem ganha é quem faz bem e não quem guarda segredo e chega primeiro. E mais..., se fizermos depois e de forma correcta, dependendo do mercado, até tem uma certa vantagem. Deu para entender? Pois... na verdade tudo mudou novamente. Nunca foi tão fácil ter uma Empresa, nunca foi tão fácil ter uma Marca, nunca foi tão fácil ser valorizado por ter uma Ideia, um Projecto e por aí adiante... no entanto nunca foi tão difícil ter sucesso! Mas tudo bem, decidiu mesmo assim ser Empreendedor/a – tem uma ideia que julga poder ser um negócio e quer levá-lo adiante porque é esse o seu desejo? Pois bem, tem um emprego onde quer empreender, tem uma ideia e quer sair, quer começar a ver como é isto de ter um negócio próprio? Percebi... quer então saber por onde começar e que caminho seguir? Certo, na verdade perguntam-me isso várias vezes. Antes de tudo alimente-se daquilo que lhe devolve entusiasmo e energia. A música, os amigos, a paixão, correr, partilhar, pensar... e reserve porque vai precisar de muita, mas mesmo muita energia. Depois, ainda que saibamos que é xpert, é importante, mas mesmo muito importante, que se certifique que não irá agir como o Mr Right (como diz o meu amigo Paulo Fonseca, companheiro de Workshops de Empreendedorsimo e Inovação), aquela pessoa que sabe tudo, ainda que tenha a certeza que o seu projecto vá ser o melhor, por favor não haja como já viu tudo e como quem sabe exactamente o que fazer. E por fim, que mais é o princípio, corra atrás das boas práticas e decida segui-las step by step, tanto quanto possível e mesmo que o seu projecto peça para não o fazer. Foque-se no Cliente e nunca só no Produto! Depois da 3ª bofetada de luva branca que o mercado me deu, foram estas as conclusões que tirei – na minha opinião, um Empreendedor é alguém de capacidade técnica elevada, muito conhecedor da sua área de actuação e com competências especificas para o efeito, a quem deve ser aliada uma boa dose de boas práticas de empreender - metodologias e ferramentas do tão agora falado Empreendedorismo. Bom... e que boas práticas são essas? Antes de mais, não parta para a aventura sem saber exactamente aquilo que sabe fazer. Uma organização, por muito pequena que seja, só se mantem viva e rentável se forem realizadas todas as tarefas que inicialmente programou fazer. Quanto mais cedo descobrir as que não sabe fazer, mais sucesso terá na escolha dos outros elementos da sua futura equipa. A multidisciplinariedade dos elementos (sim, nunca comece um negócio só) nos tempos inicias é chave, não escolha andar para a frente com uma ideia ou um negócio com um amigo, só porque as conversas com ele sobre determinados assuntos fluem. Se não quer perder esses momentos, porque ele sabe exatamente o que você quer montar, transforme-o no seu Mentor (caso seja alguém experiente) e vá á procura daquelas pessoas que lhe causam mau estar, ao lhe colocarem as perguntas que não quer ouvir, ou ás que não sabe responder. E de chofre, assim que conseguir organizar as ideias e construir algo que possa mostrar (protótipo) saia do seu lugar, do andar onde trabalha, ou saia de casa e vá para a rua, vá para a rua mostre o que montou e pergunte, pergunte ... pergunte se faz sentido aquilo que construiu e se resolve o problema, o desejo, a vontade de um bom número de pessoas, para assim obter aqueles pequenos sinais que validam se de alguma forma, a sua ideia pode realmente ser “A” solução e se de facto esse problema desejo ou vontade existe. Mediante a analise aos resultados que obteve na operação anterior, terá dois caminhos a seguir: DESISTIR e olhe que em muitos casos é uma excelente decisão, ou CONTINUAR. Se DESISTIU, leve consigo para a próxima etapa o que aprendeu, pois na próxima arrancará já parte de num nível superior de conhecimento. Se decidiu CONTINUAR, é hora de, entre outras coisas inerentes ao produto, mergulhar no Ecossistema de Empreendedorismo e ouvir falar sobre muita coisa nova. É certo que Lisboa é um local estratégico para o fazer, citando o vereador da CML, Paulo Soeiro de Carvalho, Director Municipal da Economia e Inovação, “o Ecossistema Empreendedor de Lisboa é actualmente constituído por 15 Incubadoras de ‘startups’, vários programas de aceleração de empresas, dois deles de âmbito internacional (o “Lisbon Challenge” e o “Building Global Innovators”); 5 Fab Labs e espaços para Makers, mais de 40 espaços de Coworking; e uma rede cada vez mais dinâmica de ‘Business Angels’ e Capitais de Risco”, mas é também uma dinâmica que já se vai espalhando por todo o país.São termos como estes, Incubadoras, Startups, Programas de Aceleração, Fab Labs, Coworking, Crowdfunding, Business Angels entre outros, que vai passar a ouvir com muita frequência se mergulhar no meio e que deve aprender, mas um conselho lhe dou, se quer mesmo entrar no sistema, porque quer mesmo montar um negócio, concentre-se no seu projecto primeiramente e corra atrás de Workshops, Meetups, Masterclasses e Bootcamps, com o foco no seu desenvolvimento, eles existem sobre os mais diversos temas e por um valor na maior parte das vezes muito acessível e não se distraia tanto com eventos para empreendedores em fases mais avançada, é que não vai ter tempo para tudo. Em todos os Workshops e outros, existe uma enorme entrega de todos os actores em sala e por isso são partilhadas as mais modernas, eficazes e affordable metodologias e também muito frequentemente livros, artigos, movimentos e eventos que lhe vão ser muito úteis para absorver conhecimento e desenvolver networking, tudo em prol do seu projecto. Vá retirando do seu radar a repetição dos temas, e tente ir evoluindo progredindo nos mesmos. Sou uma fervorosa adepta do Mentoring, da utilização dos ensinamentos de Alexander Osterwalder sobre Business Modele Value Proposition e mais recentemente fã incondicional das metodologias de Design Thinking, julgo por isso que tão cedo quanto possível, deve tentar embrenhar-se nestes temas e mantê-los dinâmicos ao longo de todo o processo de crescimento do seu projecto. Numa resenha muito rápida, deixo ainda 10 primeiros passos que qualquer empreendedor deve levar em conta durante o caminhar do crescimento da sua ideia, para assim ela se poder transformar num projecto e bem-sucedido solucionar uma ou mais Necessidades, Problemas ou Desejos: 1 - Identificar a Necessidade Identifique se a nova solução que tem em mão é mesmo para uma necessidade (problema ou desejo) que ainda não foi satisfeita. Olhe em redor, não se concentre só em si. 2 - Validar a Ideia Todas as ideias são válidas, mas nem todas vingam, tem de validar o que irá acontecer á sua, investigando. É aqui que começa a fazer sentido aprender métodos e utilizar ferramentas de empreendedorismo. 3 - Conhecer o mercado É identificar quem tem essa necessidade, apresentar-lhes a solução que criou, validar se lhes serve e medir se com essa amostra de pessoas pode ter negócio. 4 - Adquirir competências empreendedoras; Estar a par das alterações que advêm da era “Digital Transformations” e skills para estar dentro dela. Tem de ter conhecimento especializado, mas ao mesmo tempo ser versátil ao ponto de o ir ajustando aos poucos. Ter a certeza que tudo é dinâmico e por deve abraçar competências para adaptabilidade. Evidentemente são essências as competências para ser dono do seu próprio rumo empresarial. 5 - Pensar o Modelo de Negócio O modelo deve identificar e caracterizar com muita clareza como as receitas superam os custos da sua operação. Ele é composto por vários componentes que devem estar claramente identificados, Produto e Clientes, Canais e Formas de Relacionamento e todo o Back Office necessário á Execução e Operação da acção, sendo que é central ter a certeza que a sua Proposta de Valor serve as Necessidades e Dores dos Segmentos de Clientes identificados. 6 - Validar a Proposta de Valor e Segmentos de Clientes Este é um ponto inultrapassável e curiosamente algo demorado. A validação da proposta de valor deve obedecer a um plano sistémico, do qual não pode desistir, adaptar sim, fugir não. É o momento em que realmente nos sentimos desconfortáveis porque, invariavelmente ela sofre mutações para as quais não estávamos mesmo preparados. 7 - Testar o Modelo de Negócio Isto quer dizer Vender antes de Ter, com o goal de conhecer exactamente se a conversão acontece e a que escala. 8 - Criar Plano Negócio Ainda que possa ser para não cumprir, os planos devem existir. pois elucidam-nos muito bem todo o espectro de elementos e acções que devemos cobrir. Mais uma vez ele deve ser dinâmico e obrigatoriamente actualizado. 9 - Criar Empresa Já sabe que vende? Então é o momento para assumir os custos mínimos. Custa 1€ abrir uma empresa é verdade, mas ponha-lhe uns zeros á frente para quando a necessitar de fechar. 10 - Errar para continuar Se não tentar não vai aprender. O ciclo é avançar, fazer, falhar, parar e crescer para voltar a tentar! Pense em comunidade e vai ver que vai voltar ao caminho certo! (*) focada em estratégia e empreendedorismo, tem no curriculo vários workshops nesta área https://www.linkedin.com/in/joanabeirao

fonte: SAPO TEK

#EMPREENDEDORISMO #INOVAÇÃO #SAPOTEK

0 visualização

JOANA BEIRÃO

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

<= Peça aqui o seu Ebook EasyDecor

SUBSCREVER NEWSLETTER E OFERTAS